Liberada produção de barcos olímpicos no Brasil a partir de 2022

Liberada produção de barcos olímpicos no Brasil a partir de 2022

Written on 12/03/2019


A Conferência Anual da World Sailing definiu neste fim de semana, em Sarasota, nos Estados Unidos, que a partir de 2022 estará liberada a produção de barcos olímpicos no Brasil. Essa decisão é uma conquista histórica para o desenvolvimento da vela no país, obtida graças ao empenho da Confederação Brasileira de Vela (CBVela) e das federações sul-americanas.
 

A vela brasileira está representada na Conferência por Torben Grael, que é um dos vice-presidentes da World Sailing; e Marco Aurélio de Sá Ribeiro, presidente da Confederação Brasileira de Vela (CBVela).


“A possibilidade de fabricarmos barcos olímpicos no Brasil a partir de 2022 vai proporcionar maior inclusão de velejadores nas campanhas olímpicas”, destacou o presidente Marco Aurélio.


Neste domingo, dia 4, será realizada a Assembleia Geral que vai deliberar sobre as indicações da World Sailing para o programa olímpico. A principal batalha da CBVela é pela manutenção de duas classes muito importantes e tradicionais: a 470 e a Finn, que tem merecido uma atenção ainda maior da Confederação por estar ameaçada de exclusão dos Jogos Olímpicos de Paris 2024.


“Estamos fazendo todo o possível. Continuaremos trabalhando até a última votação. No domingo, a Assembleia terá transmissão no site da World Sailing. A saída da Finn ainda pode ser revertida”, disse o presidente Marco Aurélio de Sá Ribeiro.